quinta-feira, 7 de setembro de 2017

Atualização do patrimônio financeiro de Agosto/2017

Salve, guerreiros! Lá vem desabafo...

Vida Pessoal


Acompanhando alguns blogs, fazendo um curso online, investindo devagar na pós... Quase o de sempre. Um amigo meu me recomendou fazer exercícios funcionais ou pular corda em casa. Quem sabe não coloco isso em prática (sabe-se Deus lá quando).

Estou numa bad e ao mesmo tempo feliz. Um parceiro meu, que converso à altura, se mudou. Tínhamos contato presencial, praticamente diário, onde travávamos conversas sobre vários assuntos sobre finanças pessoais e investimentos. Chateado por um lado, pois não terei tanto contato mais com ele, mas feliz porque ele saiu dessa merda de país. Pra ele, foi uma oportunidade e tanto, então torço que ele tenha muito sucesso.

Me chateia não conseguir falar com praticamente ninguém sobre poupar, investir, e hábitos para alcançar liberdade e independência financeira. A maioria das pessoas que tento falar sobre isso, são as mesmas retóricas:

- O país está uma merda, o governo vai confiscar
- Não gastar é interpretado para muitos como sacrifício e não viver a vida de maneira plena
- As pessoas acham que pra investir precisam de muito dinheiro, então tentam justificar que não conseguem, devido ao próprio padrão de vida
- Acham o assunto chato, então preferem falar sobre futebol e programas de TV inúteis
- As pessoas confundem bondade com vitimismo. Me considero uma pessoa relativamente bondosa, mas totalmente contra benefícios sociais e interferência estatal. O discurso impera que capitalismo e meritocracia são coisas de gente malvadona. Escrevo sobre isso, pois se tivessem discernimento e disciplina para poupar e investir, e se preocupassem em ascender como profissionais, esse tipo de discurso não teria tanta força hoje em dia

...


Poderia ficar aqui listando mais motivos, estes foram os que me vieram à mente rapidamente. Por essas e outras, que não acredito poder ter uma conversa coerente e saudável com praticamente ninguém hoje em dia, o que me entristece muito.

Ao meu ver, eu deveria participar mais da blogosfera de finanças, pois os blogueiros parecem muito mais alinhados com a maneira que encaro as coisas. Parece que todos procuram sua tribo. Eu tenho tentado encontrar a minha tribo nas pessoas que me rodeiam, mas infelizmente me sinto um peixe fora d'água. Acho que estive este tempo todo procurando nos lugares errados.

Já faz um tempão que me sinto assim, completamente um peixe fora d'água. Praticamente ninguém à minha volta investe, poupa alguma coisa. Duvido que tenham ao menos 1/4 de milhão, mesmo gente que já possui quase o dobro da minha idade, que ganha o triplo e gasta o quádruplo que eu. O peixe da imagem sou eu: não vejo ninguém de minha convivência pessoal no outro aquário.

Finanças Pessoais




Bom, neste mês não participei de nenhum IPO, pois não houve nenhum. Setembro era previsto de ter, mas mesmo que tenha, não vou participar. Não acho viável participar de loteria, seguirei o conselho do titio Buffet.

Aumentei (dobrei) minha exposição em fundos multimercados. Como o mercado reagiu muito bem, e parte dos rendimentos se deve à ações, os rendimentos brutos foram acima da média que venho registrando durante este ano de 2017. Achei interessante, e isso aumenta minha confiança em realocar grana nesta categoria, e quem sabe destinarei para os fundos de ações.

Como as ações estão subindo bastante, ando colhendo ótimos frutos. Acompanhando o crescimento bruto do patrimônio, ele tem subido substancialmente mais em relação aos últimos meses. Isso será justificado no próximo tópico, onde comento sobre a minha atualização do patrimônio.

Pra terem uma ideia de como está o percentual global dos meus investimentos: 13% multimercados e 87% renda fixa. Como não pretendo mexer nos que estão com vencimento no decorrer dos próximos anos, não detalho aqui os de renda fixa.

Um coincidência, é que atualmente o Corey postou (link) que está com 200 mil para investir. Esta é uma grana aproximada que terei em mais ou menos 3 meses, por conta de um vencimento. Como o blog dele é infinitamente mais comentado que este, irei consumir os comentários que já vejo que estão em grande volume lá. Também vou ver se comento lá.

E a Magazine Luiza, hein? Fiquei impressionado com esta empresa. Teve desdobramento das ações recentemente, e mesmo assim só sobem! Impressionante! Vamos ver se o limite histórico do IBOVESPA será rompido! Já tem quem creia que chegará aos 87 mil pontos:

https://www.moneytimes.com.br/risco-menor-pos-recessao-pode-levar-ibovespa-87-mil-pontos-avalia-bradesco

Atualização do patrimônio financeiro


Aporte de 4.5k (olha o quebrado de novo) e, para minha feliz surpresa, obtive um rendimento bruto de 9.5k. Mês de Agosto longo, mais dias úteis, teve amortização de uma debênture. Porém, isso não minou seriamente o rendimento bruto.

Aumento patrimonial bruto em 14k. Patrimônio bruto total em 1 milhão e 52 mil reais. Deu mais uns quebrados, mas vou usar pra pagar os impostos dos ganhos de IPO's que participei em Julho.

Até o ranking!

19 comentários:

  1. Parabéns pelo 1 Milhão

    Abraço e bons investimentos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado pelas felicitações! E também pela visita!

      Excluir
  2. Eu me identifico totalmente com a sua situação de peixe fora dágua. Ninguem entende esse negocio de IF. Por isso entrei na blogosfera de finanças. Bem vindo ao clube do grande sabugo !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poisé, difícil manter a postura em uma sociedade tão alienada, infelizmente. Quando tento falar sobre o assunto ou me aprofundar um pouco que seja, sou visto como o que não aproveita a vida. Vê se pode?

      É nóis! Aqui nos entendemos! Dei uma passada no seu blog!

      QM.

      Excluir
  3. Opa...td blz?

    Acompanho seu blog desde o mês que vc alcançou o seu R$ 1M e te dou os parabéns por essa conquista, realmente não são todos que estão dispostos a enfrentar as consequências desse sonho, que é fruto de muito esforço, disciplina e abdicações.

    Esse ano faz 10 anos que estou nessa batalha e graças a Deus estou quase lá...acho q conseguirei em algum momento do segundo semestre de 2018, mas não é fácil...é como vc falou mesmo: na maioria das vezes eu me sinto um ET perto das pessoas, é muito difícil alguém para compartilharmos experiências, conhecimentos, etc. Aos poucos tento contaminar as pessoas ao meu redor, e somente às vezes há um pequeno resultado.

    E sabe oq é o pior? É que só se evolui em finanças conversando sobre finanças, discutindo, trocando informações, etc. ou seja, as pessoas nunca evoluirão nisso, justamente pq não gostam de falar disso....é um ciclo q poucos interrompem...e quem o faz, obtém sucesso.

    Enfim, essa bad faz parte, até pq gostaríamos que todos os próximos a nós evoluíssem nesse sentido, mas passa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa, tudo bem!

      Muito obrigado, nobre anônimo. Certamente entende a dificuldade deste caminho a ser trilhado.

      Existem dois marcos difíceis a serem alcançados: 100 mil e 500 mil. Para chegar em 100 mil é muito difícil, já que você não possui tanto volume de juros compostos ao seu favor. Essa etapa exige muito esforço em termos de aporte. Depois deste marco, é legal a auto-motivação em se chegar aos 500 mil, que seria metade desta jornada ao grande sabugo. Os juros compostos já te ajudam um pouco mais, claro que os aportes continuam sendo importantes. A questão é que a motivação dá um "boost", pois você chegou aos 6 dígitos. Depois dos 500 mil, chegar ao milhão é uma questão de tempo: com rendimentos conservadores, você já consegue ter uma renda passiva entre 3.5 e 4k brutos. Quanto mais conhecimento investido no assunto e mais erros cometidos, mais assertivo você vai se tornando.

      Olha, eu também tento, e tento muito. Já desanimei de manter conversas sobre este assunto presencialmente, ou em grupos WhatsApp. Parece que ninguém se interessa, impressionante. Mas o legal é que, quando uma, e apenas uma pessoa se interessa, ajudo com o maior prazer do mundo. Me sinto feliz em fazer a diferença na vida das pessoas, mesmo que de pouquíssimas. Afinal, antes qualidade do que quantidade.

      Eu aprendi muito do que sei hoje como auto-didata. Fiz poucos cursos onde precisei investir dinheiro, mas por conta que possuo outras prioridades para meu tempo: mercado em que atuo e minha pós-graduação. Hoje consigo conversar com pouquíssimas pessoas à altura.

      Poisé, sobre a bad. Recentemente li uma postagem que me identifiquei bastante:

      http://epocanegocios.globo.com/Vida/noticia/2017/09/jovem-que-se-aposentou-aos-34-anos-conta-que-nao-e-facil-se-adaptar-uma-vida-na-qual-nao-e-preciso-trabalhar.html

      Estou até pensando em dedicar um post ao assunto. Isso tem muito a ver com o que eu passo hoje, com a diferença que não cogito parar de trabalhar, mesmo que como empregado. Já fui empreendedor, e te digo que aqui no Brasil é muito difícil se destacar. Então, por questões de saúde mental, hoje não me vejo saindo desta condição de empregado, mesmo que conscientemente saiba que deixo de ganhar mais. Faz parte do jogo.

      Excluir
    2. Eu tb concordo com os marcos de 100K e 500K...mas vou te confessar: Esse mês ultrapassei a barreira dos 800K não é fácil esse momento tb não...rsrs...vc olha pra baixo vê o qto escalou e olha pro topo vê o qto falta, aí vai somando cansaço, insatisfação com emprego, etc... Temos que focar firmemente no objetivo para continuar avançando e tolerando determinadas situações, mas vale a pena, sou convicto disso.

      Excluir
    3. Continue firme, nobre anônimo! Parece que o mundo inteiro torce contra, sei bem como é isso.

      Seu topo é um milhão? Se sim, falta pouco! O que o motiva a continuar sua jornada? O que você pretende fazer quando chegar lá?

      Percebi que, depois do grande sabugo, fiquei sem objetivo. Isso acaba contribuindo para o desgaste mental mais facilmente. Eu vou colocando metas anuais na minha cabeça. Pretendo chegar a mais 100 mil, além do milhão, até Dezembro. 13o salário eu já estou planejando para não contar como aporte neste ano.

      Excluir
  4. Primeiramente, parabéns pelo seu blog! Fiquei sabendo sobre os blogs de Finanças essa semana, li vários, mas o seu é um dos melhores, pois me identifiquei bastante com suas metas e observações do cotidiano. Estou na batalha pelo primeiro milhão, já ultrapassei a casa dos 500K e pretendo alcançar a meta daqui a 3 anos, pois estou conseguindo manter aportes mensais altos e consistentes.
    Como vc disse, concordo que a marca dos 100k e 500k fazem grande diferença. Inclusive, li uma entrevista do Cerbasi em que ele diz que è muito mais tranquilo chegar ao segundo milhão, obviamente em razão dos juros compostos.
    Também sofro um pouco com esse isolamento, no sentido de não ter ninguém para conversar e compartilhar sobre esses assuntos de investimentos e independência financeira, pois é algo que me interessa cada vez mais. A leitura do blog de alguns grupos do face servem de alento, pois só neles consigo perceber que existem pessoas com o mesmo interesse.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agradeço por sua consideração!

      Fico feliz em considerar como um dos melhores, acho que ainda estou muito longe de atingir qualquer grau perto de excelência. Eu não dou um foco aos números e categorias de investimentos, como muitos o fazem. Me interesso mais pelo fator emocional de lidar com finanças. Percebi que dificilmente algum outro blogueiro leve mais para este lado, e eu não dei o devido foco, por não saber se as pessoas compartilham deste mesmo sentimento. Só nestes poucos dias, percebi que as pessoas dão sim importância. Isso me deixa mais motivado a produzir conteúdos que não se atenham simplesmente às atualizações mensais.

      Muito bom que esteja com um patrimônio tão relevante. Dificilmente alguém aqui neste país possui a disciplina de chegar neste patamar, então também parabenizo-o por isso. Muito legal saber também que você estabeleceu esta meta de 3 anos. Não faz sentido acumularmos e aprendermos a investir melhor, se não tivermos um propósito. Inclusive, após ultrapassar 1 milhão, estou sem nenhum propósito. Será se apenas propósitos financeiros são relevantes?

      As marcas de 100 e 500 mil, eu aprendi acompanhando alguns blogueiros com mais experiência em produzir textos sobre finanças. Na prática, pude constatar que tinham razão. Continuo aportando, me permitindo um pouco mais que o usual. A questão é chegar no segundo milhão, desde que ao menos os rendimentos tenham superado a inflação, senão perdemos poder de compra.

      Então, mais um para o clube rs. Depois do artigo que compartilhei

      http://epocanegocios.globo.com/Vida/noticia/2017/09/jovem-que-se-aposentou-aos-34-anos-conta-que-nao-e-facil-se-adaptar-uma-vida-na-qual-nao-e-preciso-trabalhar.html

      Percebi que não está sozinho. E "tantos" comentários por aqui, só mostra que deve existir um número considerável de pessoas que lidam com este tipo de isolamento. Por isso, seja bem-vindo por aqui!

      Excluir
    2. Obrigado pela resposta, Quarentão Milionário! É ótimo poder ler e compartilhar minhas ideias sobre planejamento financeiro! Muito bom poder trocar ideias com alguém sobre esse assunto que tanto me interessa.

      Eu atingi a marca dos 500 K este mês, e de acordo com os meus aportes. pretendo chegar aos 1M daqui a 3 anos. Eu coloquei essa meta de 1 M apenas como um marco financeiro, não como uma meta de independência financeira. Ou seja, pretendo atingir a meta de 1 M por volta dos 38 anos, e depois ir aumentando os aportes com mais tranquilidade, até chegar aos 3 M, que considero um valor próximo da independência financeira. Mesmo assim, não pretendo parar de trabalhar, sou servidor público, tenho estabilidade, um bom salário e um longo caminho de trabalho pela frente. A primcipio, não pretendo depender de previdência paga pelo governo, pois ninguém sabe como será o futuro nesse país. Além disso, com essa quantia, posso até em pensar em largar a área pública, viver dos rendimentos, usar essa quantia apenas como suporte, ou sair do país.

      O meu foco tb não se dá pelas categorias de investimentos. Dou mais importância ao fator emocional e à consistência dos aportes. Como diz o Bastter, taxa não ganha de aporte e de tempo....tenho Renda fixa e agora estou mais voltado pra renda variável (ações) pra formar uma carteira de longo prazo, com empresas sólidas e pagadoras de bons dividendos.

      Enfim, meu objetivo, ao atingir a independência financeira, não é deixar de trabalhar. Pretendo continuar trabalhando, pois é algo que me agrada, mas com flexibilidade.

      Abraço

      Excluir
    3. Estou à disposição!

      Também agradeço por compartilhar aqui sua realidade. Eu considero que adquiri a liberdade financeira, não parei pra analisar se independência também. Embora contribua com INSS por pura e expontânea obrigação, também não acredito no INSS, assim como qualquer coisa gerida pelo governo.

      Costumo pensar e afirmar que nunca irei parar de trabalhar. Apenas mudarei o foco. Hoje vejo com mais clareza sobre ser empregado, tem vantagens e desvantagens, como em tudo na vida. Mesmo que na iniciativa privada. Quem sabe um dia viro "funça", como muitos indicam na blogosfera financeira. Sei que muitos vêem com maus olhos o funcionalismo público, mas eu não atribuo culpa a quem agarra uma oportunidade. Penso que a culpa é do sistema, que permite brechas.

      Eu tenho olhado mai para renda variável. Participei de alguns IPO's e aumentei minha exposição em multimercados. Atualmente, estou analisando ETF's. Também penso em fundos de ações, não sei se terei paciência e estômago para me dedicar aos trades. Legal que sua estratégia se resume aparentemente em papéis de baixa volatilidade, motivadas pela distribuição de dividendos e solidez das empresas. Também considero uma estratégia muito boa, mas eu ficaria com a mão coçando para fazer trade...

      Grande abraço!

      Excluir
  5. Eu tb passo por isso. Não tenho ninguém para conversar. Não tinha... Um colega q trabalha ao meu lado foi convertido por mim. Hehehehe hoje o cara é todo focado para finanças.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você é muito sortudo! Eu tinha, agora não tenho mais. Ê inveja branca! Hahahaha

      Excluir
  6. Grande Siri!

    Estamos juntos nessa meu caro, realmente são poucas as pessoas do nosso ciclo que tem como manter o papo sobre investimentos ao mesmo nível de conhecimento que o nosso.

    É aqui na blogosfera que encontramos essas pessoas.

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que honra vê-lo por aqui, mestre!

      Com certeza, aqui é o nosso espaço. A galera tem bons conhecimentos, cada um em níveis de nichos que mais interessam. Essa diversidade é bem interessante, e só contribui com todo mundo.

      Grande abraço!

      Excluir
  7. Artigo recente sobre minimalismo

    http://g1.globo.com/pop-arte/noticia/o-prazer-do-desapego-minimalistas-defendem-que-ter-menos-coisas-cria-mais-liberdade.ghtml

    ResponderExcluir
  8. Quarentão Milionário,
    que pena pelo seu amigo. É bem difícil mesmo, tem 1 cara q converso sobre investimentos, mas ele está começando agora... Acabo mais ajudando ele a formar as convicções dele, mas todo mundo sempre tem algo a nos ensinar.
    Tem um outro amigo que sempre está por perto quando conversamos, mas ele meio que acha "zueira", besteira acumular grana assim. Sei lá, é meu amigo, mas não consigo entender o cara.
    Acabo não podendo revelar mais coisas pra ele, nem mostro o blog diretamente e falo, ta vendo esse cara, esse cara sou eu (Carlos, Roberto). Dá vontade, mas sabe como é, uma hora ele vai contar pra um amigo, que vai contar pra outro amigo e daqui a pouco já viu...

    Bem, siga firme ai... Rumo ao segundo sabugo hehehe...
    Abc

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu "funça" investidor, presencialmente às vezes surge o assunto, mas as pessoas de meu convívio são meio que iniciantes também.

      Sim, às vezes uma visão diferente pode ajudar a moldar nossas perspectivas. É semelhante você contar algo seu à quem não está envolvido emocionalmente contigo (família, amigos próximos). Quem está de fora, pode enxergar coisas que você mesmo ou próximos não conseguem enxergar.

      Entendo também sobre achar "zueira". Comigo tem até um caso de um indivíduo que acredita que não adianta guardar ou investir, que a situação do país está indo de mal a pior, e com isso o governo irá confiscar. Simplesmente inacreditável, parece reflexo do plano Collor. As coisas evoluíram, o confisco é inconstitucional (parágrafo 1, inciso II, artigo 62): http://www.planalto.gov.br/ccivIl_03/Constituicao/Emendas/Emc/emc32.htm

      Não seria seguro mostrar o patrimônio, ainda mais para quem aparentemente não prioriza o assunto. O anonimato é fundamental, e vejo que já possui um patrimônio bem considerável. Tenho vontade de contar também, só que imagina alguém próximo saber que já passei de um sabugo. Dependendo de quem, pode até rolar uma inveja, e piora se ainda espalharem. Infelizmente é necessário preservarmos nossa própria segurança.

      Simbora para o segundo sabugo! Um abraço!

      Excluir